5.1.08

jesus, meu nego

p/ Samuel de Assis



jesus, meu nego
um sorriso teu vale mil cruzes
mas em vez de espinhos
a gente se coroa de louros
e ao pé dos calvários
faz cruzar nossos caminhos
os braços abertos
são para os abraços
os olhos fechados
são beijos secretos
mãos são pra se dar
não pra cravar pregos
não nos deixamos pregar na cruz por amor
o amor, meu nego, não se deixa pregar
é essa música que você canta
fingindo que é pra mim
como se não fosse...
uma calma de quem espera o paraíso
sabendo que vai morrer
meio sem querer, sem saber a data
sem pressa de arrumar as malas
e assim, de repente,
como quem nada pressente
soa um acorde, depois outro
os anjos tocando guitarra elétrica
pra saudar nossa chegada
a gente vai dançar tanto, tanto, tanto
vai se acabar na pista
sem descer do salto
ou com os pés descalços
sem dar a mínima aos que se julgam deuses
cheios de seus juízos finais sobre tudo
é assim que se morre de amor
sem cruz nem prego
sem choro nem vela
é assim que se morre de amor
com riso e gozo
com som e fúria
é assim que se vive de amor
é assim mesmo que a vida corre
porque de amor, não

de amor não se morre.

4 comentários:

Priscila disse...

ai , meu jesus ! que eu me perca pra que tú me salves...

Beatriz Provasi disse...

Êpa! Tira o olho, que esse jesus aí já tá predestinado a salvar minha alma... ou se perder comigo... tanto faz. Só falta mesmo ele se dar conta disso! rs... Beijos!

Cia Fragmentada disse...

Nunca tinha visto esses comentários, já me dei conta sim, viu Dona Beatriz... tanto que já nos perdemos, algumas vezes... delíciaaaaaaaaaa... amo muito tudo isso...

Beatriz Provasi disse...

pois é! qdo escrevi ainda não tínhamos nos perdido tanto, e nos achado sempre! amo muito tb... beijos