15.10.07

DISCURSO DO ZÉ CELSO

IÓ! Brasileiros

Nós brasileiros, do Rio Grande do Sul ao Amazonas, em 5 de outubro de l897,
nós, representados então, por 6.000 militares, massacramos em nome da Liberdade, Igualdade, e Fraternidade, a segunda maior cidade da Bahia ,depois de Salvador.

25.000 habitantes, edificada em Mutirões, de doze casas erguidas por dia, organizada em Conselhos, exportadora de Couro de Bode pra Europa.

Esta cidade possuía gente de crença enorme em si mesmo, em seu poder, 'uma crença forte e consoladora' como escreveu Euclides da Cunha.

Tudo isso foi Massacrado.

Ninguém da cidade de Canudos, se entregou. 'Caso único na história'.

Nossos representantes fardados, jogaram querosene e queimaram tudo e ainda,com gente viva lá dentro.

Nós, Recém Nascidos Republicanos, tornamos cinzas,
apocalipse de yesterday como os de now,
a rebelião de Canudos,
a última da República Velha,
a mais perigosa,
a mais rica,
a mais audaciosa,
a mais empesteadoramente bela!

Sobre esse sangue degolado, derramado no Palco da Luta, foi erguido o fundamento, a legitimidade a 'Ordem e o Progresso' da nossa atual Velhíssima República.

Depois do Apocalipse do Fogo, pouco a pouco, os sobreviventes da guerra e outros doidos de deus, retornaram ao lugar Tabu e construíram uma segunda Canudos.

A ditadura militar,
trouxe depois do Apocalypse do Fogo, o Dilúvio das Águas.

A Cidade renascida foi inundada,
A estátua árvore de Conselheiro, de Mário Cravo,
onde o povo acendia velas ao Bom Jesus, foi retirada da praça de Salvador Bahía, depois do golpe de 1964.

Canudos foi reconstruída pela terceira vez.
Teve seu apogeu no centenário de Conselheiro: quando foi asfaltada a estrada que levava ao Caminho da Jerusalém do Sertão,

Mas o asfalto da estrada virou pedra, não foi conservado.

A 3ª Cidade de Canudos, está agora, isolada de nós, e do Globo.
E não se conforma com isso, como Dona Joselina da Pousada Recanto Pôr do Sol.
Isailton, o guia memorialista do Museu de Canudos, guardião do Morro da Favela, tombado aos cuidados da Universidade da Bahia.

Está hoje, quase exatamente, como Euclides descrevia o lugar de antes da Guerra : 'a Terra Ignota'

A estréia mundial da mídia Telégrafo foi na Guerra do Fim do Mundo de Canudos, que tornou-se lugar conhecido em todo Planeta . Todos grandes artistas brasileiros Glauber, Oswald, Gilberto Freyre, Nelson Rodrigues, Guimarães Rosa, e muitos e muitos, ligaram-se na anunciação do povo brasileiro de ' Os Sertões'.

É o grão da nossa revolução cultural, a rocha viva regenerando, o ser-estar brasileiro,
sempre.

Hoje o Sertão virou Mar, mas de lixo plástico. Canudos tem agora 11.0000 habitantes menos que em l897.

Mas há lá, um povo novo, querendo crescer, com Lan House instalada há pouco tempo na rua principal, com a gestão do Prefeito Adailton, que faz aniversário no dia seguinte a Cosme Damião, um Historiador, uma criança muito apaixonada, por fazer tudo, por sua região, pela terceira vez.

Esta na hora de que todos nós brasileiros fazermos a redenção, a justa história, o pedido de perdão por estes Massacres, onde se inclui principalmente , o da nossa negligência de mais de 100 anos, por não ter feito nada pelo lugar, quando tomamos consciência
que tínhamos destruído a nós mesmos, a cidade deste povo irmão, deste sertanejo, antes de tudo um forte.

O Livro 'Os Sertões', foi o primeiro ataque ao o escândalo de dois Brasis desiguais,
com a Repressão do próprio Estado Brasileiro, massacrando, degolando, seu próprio povo. Euclides foi inspirado por todas as línguas de fogo do Espírito Santo. Escrito em todas as línguas, linguagens, ciências, poesias, começou a interpretar, através do Crime praticado pela nacionalidade, o próprio Brasil, para nós mesmos brasileiros e para todo mundo.

'Os Sertões' é o livro mais traduzido do Brasil. Da China, que o define shakesperianamente como 'Poema Ilimitado'
Á Alemanha, onde é lido em Papel Bíblia , numa edição da SurkampfVerlag, a maior editora alemã, como grande poeta da Guerra Atual Mundial do Terror de hoje ainda.
8 de outurbo de 2007, 40 anos do assassinato do Che na Bolívia pré-Guarani.

'Fanáticos' de todas as universidades do mundo, vem conhecer a cidade do DNA,
inspirador do conceito de 'crime das nacionalidades' criado pelo brasileiro Euclides da Cunha em 2 de 12 de 1902 (data do lançamento do livro) no Rio de Janeiro; atraídos pelo sertanejo, antes de tudo, esse forte; pela estruturação ao vivo, política da cidade em forma de Muritão e Conselhos.

Desde o primeiro Massacre, nenhuma atitude concreta por nós brasileiros, foi tomada .

As cidades do mundo que passaram pelo que passou Canudos, foram reerguidas, Hiroshima, Berlim, Leningrado, Bagé, e tornaram-se pontos irradiadores de vida , Corações-Chacras do Amor Des-Massacrante.

Daqui do Rio de Janeiro , de onde o Brasil inteiro era convocado para Massacrar Canudos, escrevo, preparando-me para temporada em Quixeramobim, cidade Natal de Antônio Maciel, o Conselheiro. Esta cidade está em plena Primavera. Há movimento de seus jovens que nos convidaram e criaram condições juntamente com o Prefeito Edmilson Junior, que bancou 50% do alto Custo das 5 partes de ' Os Sertões' para estrearmos lá, no dia 14 de novembro próximo. A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão de Auto Filho, apoiou fortemente, e criou uma logística para que ônibus de todo Estado acorram para o coração do Ceará como é chamado Quixeramobim, e montem acampamentos para estar no evento. Um pra lá de Woodstock dos tempos atuais.

De lá seguimos para Canudos, para fazer 'Os Sertões' no Belíssimo Estádio de Futebol, de Canudos. Propusemos o apoio pessoalmente ao Governador da Bahia Jacques Wagner , e por telefone para a Pra lá de Primeira Dama Fátima, que tem se destacado como revolucionária incansável do crescimento da cultura na Bahia.

O Secretário da Cultura do Estado da Bahia, Márcio Meirelles, diretor do grupo de Teatro do Oludum, é um dos entusiastas desta ação.

Mas, não basta fazermos lá por cinco dias nosso espetáculo . Baixa a Magia do Teatro, a Internet Transmite,
o mundo comove-se ou não, e nós voltamos a São Paulo e Canudos retorna a Terra Ignota. Não, isso não vai acontecer. É hora do Desmassacre!

Pela luta contra o crime das nacionalidades, a favor do crescimento do Sertão Brasileiro , quero que os anos e anos de trabalho que nós da Associação Teatro Oficina Uzyna Uzona, tivemos, para fazer a incorporação de Theatro do livro de Euclides,
como um real Desmassacre, inspirem como estão inspirando a mim, TeAtos: atos, de investimentos maciço na irrigação das águas paradas do açude de Cocorobó,
que serviu até agora, somente para afogar a Memória de Canudos.

Que se abram artérias e mais artérias da água no corpo da Terra, e faça da cidade um Vastíssimo Pomar Sem Donos.

Que
Luciano Coutinho na Direção do BNDES,
Gedel Vieira Lima ministro de integração nacional, do Ministério da Integração Nacional, o Ministro de Assuntos Estratégicos recém nomeado filósofo jurista Mangabeira Unger,

Marta Suplicy, Ministra do Turismo,
Gilberto Gil, Ministro da Cultura,
promovam um movimento de investimento real
naquele belo e riquíssimo losango da bandeira brasileira,
Canudos, a Jerusalém dos Sertões, capital de todos os imensos quintais dos Estados do Nordeste que para lá dão.

O desenvolvimento econômico da região vai propiciar a epifania da Caatinga sob Guarda da Universidade da Bahia: o lendário Morro da Favela, assim chamado pela planta que é chapa fervente envenenada se a invadimos, mas que a carícia dos ventos das madrugadas, provoca orvalho do sons das lágrimas de Paulinho da Viola.

De lá veio a primeira Favela do Brasil ? a da Providência, onde, pra não morrer, foram morar os soldados do Exército Brasileiro contra Canudos, que não tiveram seu soldo pago pelo Estado, que faliu com a Guerra .

Canudos acesa, acende, o Monte Santo, o Razo da Catarina, a Pedra do Reino, as Cavernas de São Bom Jesus da Lapa e todas os sítios Iluminados do sentimento órfico brasileiro pagão chamado de 'fanatismo' pelos positivistas.

Para o Ministério das Relações Exteriores, de Celso Amorim, para o Iphan e a Monumenta de Fernando de Almeida fica a missão de liderar o movimento pela transformação de Canudos em Patrimônio Mundial da Unesco.

Neste lugar, poderemos os que estivermos vivos, brevemente proclamar a Nova Abolição do Cativeiro: O Fim da Guerra do Narcotráfico com a Descriminalizacão da Droga no Brasil e sua passagem pro Ministério da Saúde e sem deixar a Souza Cruz tirar o comércio das mãos dos que por ele lutaram, estes anos obscuros e sangrentos.

Presidente Lula, seu jogo de cintura, sua política de Caetê Antropófago, tem de estar na Pagelança deste movimento.

Esclarecimentos: Luis Paulo Neiva,da Universidade do Estado da Bahia (popularmente UNEB).a frente de uma equipe de cientistas, tem os estudos feitos para fazer realmente o Sertão virar PoMar, já. Informa:

1-No Parque Estadual de Canudos, que também implantamos e administrado pela UNEB, temos aí o bioma caatinga precisando ser preservado e repovoado (algumas plantas estão em processo de extinção). É Uma zona de combate da Guerra, com 1.321 hectares,, está com seus sítios históricos e arqueológicos demarcados (Alto/Morro da Favela; Vale da Morte, Hospital de Sangue da primeira e segunda Colunas; Fazenda Velha, Alto do Mário, Degola, etc).

2-O Açude Cocorobó, foi iniciado na década de 40 e inaugurado em 1987. Tem uma capacidade de acumulação de água de 293 milhões de metros cúbicos de agua, poderia abastecer mais de 2o municípios da região - hoje abastece Ós, a cidade e a zona rural é abastecida por carro pipa (seguindo o clientelismo etc). Produz poucos peixes e poderia produzir 800 a 1 mil toneladas de peixes por ano, ou seja 3 ton por dia - o que dinamizaria a região.O Perímetro irrigado Vaza Barris (PIVB) poderia irrigar 5 mil hectares, hoje irriga menos de 1 mil utilizando culturas muito demandadoras. Hoje, há DESPERDÍCIO E O SISTEMA DE IRRIGAÇÃO É INADEQUADO. Existem áreas já salinizadas etc. etc. A minha pesquisa anterior constatou que os agricultores auferiam uma renda inferior a Hum salário mínimo, enquanto agricultores alí perto, em Juazeiro estão se articulando com mercados exigentes da Europa e EUA, etc, etc.
Há uma réplica da Estátua do Conselheiro, de Mário Cravo, que está no Memorial Antonio Conselheiro da Uneb em Canudos. Ali também tem um museu, uma pequena biblioteca, e um jardim com plantas citadas em Os Sertões - esse jardim tem o nome Praça João de Regis (filho de Conselheirista. Falecido recentemente e um dos melhores depoentes sobre a Guerra).

Sem perda de tempo, aproveitemos este momento excepcional do Brasil

José Celso Martinez Corrêa
M E R D A

2 comentários:

.·• paw •·. disse...

OI!
Prezda Beatriz
Sou pesquisador argentino, Licenciado en Histoia das Artes e agora memo estou preparando un trabalho de seminario sobre Canudos e Antonio Conselheiro, una materia que virou obsesao para mim até mutos anos.
Desejaria contatar com voce meu mail
e ostrogodo2002@yahoo.com.ar
ou pauseee@gmail.com
Parabens pelo seu blog e para nao esquecer Canudos!

Beatriz Tavares disse...

Ok, te mando um e-mail já já. Beijos!