17.1.11

Tia Didi *

eu te vejo levantar dessa maca
e sair andando
e chegar lá em casa
com uma bisnaga quentinha
pro frango de domingo, pro pudim de leite,
e pra umas tantas risadas com a gente
eu vejo você zangar comigo
porque eu sou muito desobediente
e eu até fico contente com isso
eu juro que obedeço a minha mãe
se você voltar a se zangar comigo!
mas você apenas olha e esboça um sorriso...
apenas olha e respira com dificuldade
e com esse monte de fios
o seu fio de vida nos gráficos ao lado da cama
esses apitos me assustando
e esses cabelos tão brancos, tão lisos
eu te vejo chegar lá em casa
com os cabelos pintados e lindamente escovados
seus colares, seus brincos,
suas roupas coloridas,
sua alegria, toda a sua alegria
pro nosso chester de natal
pro nosso almoço de domingo
eu te vejo chegar lá em casa
num dia de semana qualquer
com a TV ligada na novela das 7
perguntando quem é quem
os personagens, a trama
e por que fulana traiu sicrano
e como tal atriz engordou, nossa senhora!
e meu deus, a euforia no aeroporto,
na sala de espera:
-“Maria Bethânia, cadê Caetano?!”
e a gente meio adolescente meio envergonhada
dando graças que você não tinha notado
a Bibi Ferreira ali do lado
como eu queria achar graça disso com você agora!
rir de você, da minha vergonha,
rir com você.
e te agradecer aquele robozinho que você me deu
num aniversário de criança
a coisa mais ultramoderna dos anos 80 e tal
que eu queria tanto sempre que aparecia no comercial da TV!
a festa inteira, em todas as fotos, eu fiquei abraçada ao robô
eu queria te dizer que foi o meu melhor presente...
queria mostrar aquela foto
que está na cortiça do meu quarto
pra você.
eu desmontei o robô no dia seguinte
pra construir uma super babá-robô
como a do desenho dos jatsons
e depois não sabia mais como ligar as peças...
e eu só queria saber ligar as tuas peças
eu, que não sei nada de preces.
de medicina, de eletrônica, mecânica...
não sei nada de fazer funcionar algo ou alguém
de reconstituir a vida.
mas eu te vejo entrando por aquela porta
fazendo algazarras de “bom dia!”
e dando ares da avó
à minha tia.
tenho muitas saudades da minha tia
ativa.
eu ainda te vejo entrar por essa porta, agora,
com todo aquele excesso de vida
que agora te sopra baixinho no ouvido.
- volta...

* minha tia tem mal de alzheimer e está no CTI por conta de uma pneumonia

4 comentários:

sousachet disse...

ela vai melhorar, amiga, da Pneumonia. Do Alzheimer... não posso te dar esperança, só força e muito amor, apoio. Beije muito ela. Ela vai se lembrar do dia em que te deu o robô e para ela, vc sempre vai ser aquela menininha. Tá congelado na memória!

B-Ju

Beatriz Provasi disse...

valeu, juju! ela tá melhorando... bjs

Anônimo disse...

não sei se consegui deixar meu registro quando visitei outro dia, se não me manda teu e-mail...tem uma poesia sua que fala da internet que gostaria de discutir, pois tenho algo parecido que vou publicar. meu e-mail é... edrianohenrique@ig.com.br te dei um livro numa noite dessas. abraço meu... Edriano Henrique

Beatriz Provasi disse...

oi edriano, meu e-mail é biatavares@yahoo.com.br. bjss