16.12.06

Chico! Chico! Sempre Chico!

Já dediquei muitos poemas para as minhas paixões, tenham elas durado um ano ou um dia. Mas há paixões que se eternizam. E desde que eu me entendo por gente, sou completamente apaixonada por Chico Buarque! Esta semana enfrentei uma fila absurda e paguei um preço absurdo por um ingresso para o show do Chico em janeiro no Canecão. Comprei na primeira mesa do setor B, na cara do palco! E se tudo correr bem, consigo entregar pro Chico o poema que dediquei a ele e que se segue:

Beatriz de Chico

Por que, meu deus, por quê?
nem mesmo por um triz
Chico nunca vai me cantar Beatriz,
nem olhar bem nos olhos meus,
mesmo que seu olhar seja de adeus...
Joga a pedra na Geni
e a Januária pela janela!
Cala a boca da Bárbara!
a Ana é de Amsterdam
a Joana, francesa - d’accord?!
Acorda!
a Rita levou seu sorriso
a Rosa, o seu projeto de vida
Iracema voou
Carolina não viu
Madalena lá do mar
te deixou a ver navios
Até a Renata Maria se desvaneceu!...
Ah, meu guri, quem te viu, quem te vê
deixa a banda passar...
deixa o barco correr...
Àtenas com as outras mulheres!
A Luíza fora do Tom
Eu, mesmo fora do tom,
te dei meus olhos pra tomares conta
agora canta
canta a sua atriz
me canta,
nem que seja num sambinha feliz...

(e eu te levo para sempre, sim,

te ensino a não andar com os pés no chão...)

2 comentários:

maristotelica.blogspot disse...

Espero sinceramente que você tenha conseguido dar-lhe o poema, moça danada, silenciosa nos grupos e falante em ações!
Doce na roda e apimentada nas decisões.
Bia linda,
lindo teu poema pro homem mais homem que o desejo enfeitou para a mulher,
Chico, tão específico quanto o Rio, quase um Nilo que corta esse pa´s.
Ele é teu próprio médico e o teu poema o diagnóstico.
Beijos muitos e felíz consecutivos segundosssssssss

Beatriz Tavares disse...

A temporada ainda não começou. Eu só vou dia 26. Ah, mas pode deixar que vc vai ouvir notícia de uma maluca que pulou no palco pra agarrar o Chico e entregar um poema...!