21.11.12

dinamite & diamante (São Paulo)

teu nome de santo não me engana
tua gana demoníaca, toda a tua grana
teu palco de sacrifícios
me vejo engolida
por teus edifícios
teu céu cinza
& pôr-do-sol sem horizonte.
danem-se as estrelas
e me sirva uma dose de uísque.
eu encaro tuas esquinas devastadas
igrejas evangélicas em plena ascensão no reino das putas
tuas putas suicidas,
todos os teus suicidas no colo do asfalto.
teus prédios encurvados devorando meu corpo
teus engarrafamentos
imensa cidade parada
sem pontos de fuga
sem mares ou morros
me acolha nos teus viadutos
teus vícios
em tua fumaça fechada
em todos os teus entulhos
de cidade acumulada
arqueada & arquejante
o gás tóxico do teu bafo alcoólico
& quase atômico
sopra na minha nuca
as baforadas do teu cigarro
os escapamentos dos carros
o terror das tuas cracolândias insanas
imensas cidades assombradas
guardadas no ventre de uma só cidade
me espreme contra tuas paredes
me canta tua música
de migrações desgovernadas
teu sotaque de estrada
& toda a cadência melódica
dos teus pedintes noturnos
os tiros descompassados
- todos os tiros, até os não disparados -
a esmagadora coleção de vitrines
da esmagadora coleção
de shoppings centeres
- performances do desespero -
acolha meus gritos de socorro
com teus gritos de socorro
teu pulso corre no meu pulso
(e teu olhar no meu de cientista maluco)
esse imenso rio degenerado que é teu sangue
e tuas veias de ruas incompreensíveis
e ainda assim eu me acharia
nesse teu mapa difuso
o olhar confuso de amigos perdidos
na terra do nunca
e no escuro das impossibilidades
algo acontece, se cria,
se faz impávido & colosso
há um diamante escondido na tua concha
não as pérolas penduradas nos pescoços
de tuas socialites desqualificadas & sórdidas
importadas de conchas de mares de outras cidades
tua concha guarda um diamante indizível
eu o vejo reluzir
no mais improvável
tilintar de
corpos.

6 comentários:

Banca dos B-Boyzz disse...

oi! muito bom tua presença no Ratos - lucupleta-nos total mesmo! ói, essa num foi registrada pelas câmeras da CET-Rio não!! tô deixando por aki um pouco de anonimato, essa coisa urgente de ñ saber de nós: lê lá! bjs.xnd

http://ratosdiversos.blogspot.com.br/2012/11/poesia-x-para-anonimos.html

POBRE MEU BLOG disse...

Intenso!

R. disse...

Sinto falta de encontrar escritos novos por aqui...

Rodrigo

R. disse...

Aqui fica tão desolado sem poesias novas, como se alguma coisa estivesse quebrada, sabe?

Rodrigo.

Beatriz Provasi disse...

puxa, Rodrigo, bonito isso, "como se alguma coisa estivesse quebrada"... desculpa ter deixado isso aqui quebrado por tanto tempo... vou colar os pedaços, prometo! precisei de uma retirada estratégica do mundo virtual pra começar a escrever minha dissertação de mestrado. aí depois veio o carnaval... e me engoliu! vou publicar os últimos escritos todos logo. e aos poucos vou voltando... beijos

Beatriz Provasi disse...

valeu, xandu! tb me faz um bem danado aparecer nos ratos... mó energia boa! amigos, cachaça e poesia - combinação perfeita! dei uma lida lá no seu texto, bacana. desculpa a demora em responder, estive meio ausente por aqui... beijos