20.2.11

E EU LI A HISTÓRIA QUE NÃO ESCREVEMOS

página virada, páginas viradas
páginas em branco viradas e reviradas
e perceber no final do livro
que não havia nada escrito
nada além de um único capítulo
uma única palavra: começo
nada além, nada meio,
nem um único recheio
nada curva, nada sinuosidade
ponto de partida sem linha de chegada
viagem sem estrada, vírgula sem palavra
essa página virada sem nenhuma história
nem enredo, nem um erro
final sem clímax
the end sem filme
trailer sem sessão
uma borracha nas reticências
a certeza do não
o ponto final
o livro varrido da cabeceira
papel amassado na cabeça
páginas em branco sumindo na fogueira
- o vazio do vazio -
pó e cinzas na lata do lixo
minha única dor é a inutilidade de um livro não escrito
o tempo perdido, a insistência de se lançar no vazio
de resto,
um espaço aberto na cabeceira
desejo de novos livros

2 comentários:

Thales disse...

Gostei muito.
Não só desse, mas de vários outros no blog.
Vou ler sempre.

Beatriz Provasi disse...

q bom, thales, valeu! bjss