6.6.10

CRIME DELICADO

ser livre é uma espécie de crime delicado
uma grave ofensa, um incômodo íntimo
para os que entendem seu recado
frente a uma pessoa livre
a que não se julgava presa
logo descobre em torno de si
todas as grades
e sente a liberdade como um guarda perverso
que balança de longe o molho de chaves
mas a liberdade não tem as chaves, nem vê as grades
a liberdade se balança ao sabor do vento
a liberdade dança
a liberdade é uma criança
a liberdade não sabe que ofende quando fala a verdade
apenas fala, com toda a sua infantil espontaneidade
ser livre
é receber a repreensão dos pais
é receber a repreensão de toda a sociedade
é ser julgado, condenado, ir para trás das grades
e ter o olhar espantado de quem não está entendendo nada
e mesmo assim, não ver as grandes, nem ter as chaves
apenas não entender o que essa gente diz com seus olhares furiosos
porque o crime não foi cometido
o crime é ser o que se é
é ter nascido livre e, pouco a pouco,
ter escapado de todas as armadilhas
e ainda estar livre quando todos já foram apanhados
o crime é ter escapado
é a fuga de uma prisão onde nunca se esteve
é ter estampado o rosto em cartazes de “procurado”
este é o crime delicado
por isso me querem numa prisão de segurança máxima
por isso me querem no corredor da morte
por isso me querem longe, não me querem
eu sou um mau elemento
eu sou péssima influência
eu sou a pior criminosa da face da terra
eu sou a que deve arder no fogo do inferno

a escória do mundo, a que deve ser estirpada
eu sou livre
e já perdi a ingenuidade de ser isto
ainda sinto uma dor de algemas em certos olhares
mas já quase não me espanto
e mais que isso
tenho encarado com certa serenidade
esses olhos gradeados
ando pulando muros
ando pichando muros
tenho derrubado muros
para uns dou um sorriso contemplando meu rosto em cartazes de "procurado"
não arranco mais cartazes
faço uma careta pra foto
e dou risada
isso me confere uma estranha liberdade, mais íntima, mais profunda
um crime delicadíssimo do qual ninguém pode mais me condenar
até disso, de um certo peso de ser livre,
eu tenho conseguido escapar...

Um comentário:

ursinha disse...

lindo texto..

Bjs
µrsiŋђα