1.11.07

Uma questão: Maiakóvski e a Revolução

Sobre o evento acima, meu tio levantou uma questão, que outros talvez levantarão, então achei uma boa compartilhar a minha resposta. Ei-las:

Questão:
Só espero que não esqueçam de dizer a decepção de Maiakovsk e quem o matou. A poesia dele e ele são maiores do que o gancho da homenagem.

Resposta:
Sem dúvida. A minha dúvida é: e quem NOS mata?
Os primeiros anos da revolução foram revolucionários. Não se esperava que a URSS tomasse o rumo que tomou. O que o evento quer resgatar é esse momento inicial, e o que ele tem de contribuição para nós, hoje. É fácil chutar cachorro morto. A questão é o que, da revolução, ainda vive. Maiakóvski vive! Assim como Eisenstein, Vertov... E o que nós, que estamos vivos, faremos hoje? Há quem ainda os/nos mate, a cada dia um pouco... A poesia de Maiakóvski é algo que nos ressuscita! os revolucionários... O próprio Maiakóvski já sabia, "morrer, nessa vida, não é difícil / difícil é a vida e seu ofício". Ele calou as dificuldades com um tiro no peito. Hoje, nós simplesmente nos calamos. Morremos em vida. Cometemos vários suicídios cotidianos... Até quando? Falar da revolução, da verdadeira revolução, do que poderia ter sido e não foi, de que poderá ser um dia..., anima nossas vidas muito mais que lamentar nossos fracassos! Sem esquecê-los, claro, que a experiência do que deu errado pode nos orientar a não cometer os mesmos erros. Mas o momento, pra mim, é de vislumbrar uma nova vida, e não chorar irremediavelmente as nossas mortes...

2 comentários:

Anônimo disse...

biabia,

o que nos mata é nosso medo, nosso desespero. esses são os grandes inimigos. entusiasmo para fazer o que tem que ser feito. nossa alegria afronta o que nos querem inertes. a la luta, baby. maia pra sempre. bjo, ch.

Beatriz Tavares disse...

tá, até concordo que o que nos mata é o medo. é o que nos paralisa. nos isola. mas... e o que nos põe medo? que sociedade é essa que nós construímos que tanto nos amedronta? e por quê? quais são nossos fantasmas? desemprego? fracasso? incompetência? é o mundo do salve-se que puder, e se vc não se salva no meio dessa selva, porque não segue suas regras, é colocado como único e exclusivo culpado pelo seu fracasso individual. quando o fracasso é coletivo! é do mundo! desse sistema de culto ao capital. e vc pode até vencer sozinho no mundo dos negócios, se dar bem, ter reconhecimento e tal. mas a vida só vai vencer a morte quando a batalha for coletiva! e é só assim que a gente vence o medo. porque quando eu era criança e tinha medo do escuro, eu chamava a minha mãe, eu queria alguém por perto, alguém comigo, e o medo passava... os suicidas têm um sentimento de solidão desmedido! sei disso, pq meus pensamentos de morte sempre vieram acompanhados de uma solidão aterradora... mais do que entusiasmo, ou antes, o que precisamos é de companheirismo! hasta la vitoria, siempre! bessos!